Shane Black e Homem de Ferro 3 (2013)

34645898

Homem de Ferro 3 chegou com a fama dos Vingadores firmemente estabelecida no mundo inteiro, e fez mais de um bilião de dólares no box office internacional. Os dois primeiros filmes haviam sido realizados pelo comediante-tornado-ator-tornado-realizador Jon Favreau, que entretanto deu as rédeas do Universo Marvel a Joss Whedon, e o resto é história.

Quando surgem na net “thinkpieces” críticas ao colossal MCU, um dos maiores argumentos contra o seu sucesso é o estilo familiar e imutável dos seus filmes, desde o primeiro Homem de Ferro em 2008, até às entradas mais recentes como o próprio Guerra Civil. É uma crítica estupidamente redutiva, que se limita à análise superficial da maior parte dos filmes de superheróis produzidos pelo estúdio da Marvel. É verdade que acerta redondamente na falta de graça monótona de obras como o segundo Thor (2013), a primeira sequela o Homem de Ferro (2010) e até o primeiro Capitão América (2011), mas esquece-se de apontar a voz cómica e profunda de Whedon nos filmes dos Vingadores, a dinâmica de humor de sanita dos Guardiões de Galáxia (2014) que pertence unicamente a James Gunn, assim como as sequências de ação pesadas e musculares do Soldado de Inverno (2014) que não poderiam ser realizadas por outros que não os Irmãos Russo.

O que nos traz a Homem de Ferro 3. Ao passo que os dois filmes anteriores sobre o bilionário playboy Tony Stark estabeleceram o tom visual e texual de grande parte dos filmes da Marvel, esta segunda sequela explora a voz irreverente de Shane Black quando transposta para um filme de superheróis, passando por todos os seus quirks e preocupações temáticas: o contexto natalício, as crianças como fatores de redenção, a voz-off de veia noir, e a hyper-masculinidade dos nossos heróis tradicionais analisada à lupa de um homem tipicamente hyper-masculino.

5845.jpg

Ao contrário do que os críticos possam dizer, Homem de Ferro 3 não poderia ter sido realizado por outra pessoa que não Shane Black: a sua marca encontra-se em todos os cantos do filme. Por exemplo, a PTSD de Tony Stark é um reflexo da atitude auto-destrutiva de Riggs no primeiro Arma Mortífera (1987), e o miúdo que encontra a meio do filme vai buscar um pouco de personalidade ao bando de maltrapilhos de Os Caça-Monstros (1987). O próprio flashback inicial, aliado da narração desinteressada de Tony Stark, faz um paralelo com a sua personagem de Kiss Kiss Bang Bang (2005), Harry Lockhart.

Todos estes elementos podiam limitar-se a referências vazias, que em vez de adicionarem algo ao carisma do Homem de Ferro, retiravam-lhe toda a sua originalidade. Felizmente, Black encontra o equilíbrio perfeito entre a sua voz autoral e o espírito de aventura leve da Marvel, pelo menos durante a primeira metade do filme. Até a revelação falsa do Mandarim resulta no contexto satírico do filme, é pena é trocarem a versatilidade de Ben Kingsley pela performance insípida de Guy Pearce (que podia ser oh tão melhor).

Infelizmente, o orçamento monstruoso de Homem de Ferro 3 deve ter subido à cabeça de Black, pois a batalha final é uma tristeza. Não há energia, a ação é realizada de forma confusa, e o regimento de armaduras que Tony Stark atira à fuça do vilão de Guy Pearce tem o mesmo impacto emocional que uma parede branca. Black devia ter optado por aprofundar o tumulto interior de Stark, talvez com um confronto mais sensível e terrestre, que fizesse uso do seu humor cáustico e da personalidade auto-depreciativa de Stark para criar algo realmente especial. Em vez disso tivemos destruição estúpida e sem sentido.

Homem de Ferro podia ser bem melhor. Apesar disso, a voz singular de Shane Black foi capaz de revigorar (e finalizar) o primeiro franchise da Marvel como poucos seriam capazes de fazer.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s